AARON GOLDBERG TRIO

Às 21:30

Aclamado pela revista Down Beat pelos seus "reflexos harmónicos rápidos e inteligentes, pelo seu fluido comando de linha e pelo seu senso de lógica narrativa", Aaron Goldberg fez nome como um dos pianistas mais atraentes do jazz, tanto como líder de banda como com colaboração frequente com Joshua Redman, Wynton Marsalis, Kurt Rosenwinkel, Guillermo Klein e muitos mais. No seu novo lançamento, The Now, Goldberg reúne-se com o baixista Reuben Rogers e o baterista Eric Harland, a virtuosa equipa de ritmo, voltando à sua estreia de 1998 Turning Point. Na sua quinta “excursão” juntos, o trio coloca em primeiro plano uma verdade central sobre a arte de tocar jazz: que não haverá duas apresentações iguais, porque a música é criada, nas palavras de Goldberg, "no plano dinâmico do presente".

"Um disco de jazz é literalmente um momento no tempo", explica Goldberg. "Cada canção captura aqueles cinco minutos, e não mais. Isto é especialmente contra-intuitivo quando se pensa em gravações icônicas de jazz como Kind of Blue, onde podemos cantar todos os solos. Este disco soaria totalmente diferente, estaríamos todos a cantar solos diferentes, se tivesse sido gravado cinco minutos depois ou até cinco segundos depois. É este aspeto do jazz que o torna mágico para mim. Eu acho que cada vez que se faz um álbum, contribui-se para essa ilusão de que o jazz opera como outras formas de música, onde se descobre a música, se pratica, toca-se um milhão de vezes e grava-se a versão definitiva. O jazz não funciona assim, e eu senti que era a hora de lutar explicitamente com isso de alguma forma temática. "

Em todas as zonas idiomáticas das baladas brasileiras até ao rugido bebop, Goldberg e o trio têm uma maneira espontânea de esculpir cada barreira à medida que ela flui, como uma onda num rio. Rogers e Harland também passaram os últimos anos a trabalhar com o mestre saxofonista Charles Lloyd, aprofundando a sua comunicação e sutileza. Com Goldberg, deleitam-se com os cantos menos explorados do repertório de jazz, trazendo sagacidade, cotoveladas explosivas e também uma subavaliação forte para suportar a música em mãos.

Goldberg tornou-se um devoto do jazz em Boston durante o ensino médio. Depois de passar um ano na cidade de Nova York na New School for Jazz and Contemporary Music, matriculou-se no Harvard College e formou-se em 1996 com uma concentração em Mind, Brain and Behavior. É membro fundador do famoso e indispensável programa Jazz Ahead de Betty Carter, e continuou a sua ascensão em bandas lideradas por Al Foster, Freddie Hubbard, Nicholas Payton, Stefon Harris e Mark Turner, entre outros. No final da década de 1990, estava a atrair uma atenção maior, e um cronograma de turné incessante levou-o a  inspirar-se por músicas de todo o mundo, mas aprecia a criatividade zen que só o jazz exige.

 

Ficha técnica:
Aaron Goldberg
- piano
Yasushi Nakamura - baixo
Leon Parker - bateria

PROMOÇÃO
Pack Plateia 4 pessoas: 60€

(Não acumulável com outras promoções em vigor)

Promoção Pré-venda Livre Trânsito**
Preço Especial - Poupe mais de 50€
Livre Trânsito:
80 € + Oferta CD CnJ
**Até 31 de Agosto
Promoção disponível apenas na compra Online

 


1ª Plateia: 20€ | 2ª Plateia: 20€ | Camarotes: 17.50€ | Tribuna: 17.50€


Livre Trânsito* 1ª Plateia: 105€ + Oferta CD CnJ
Acesso a sete espetáculos do Festival Caldas nice Jazz'17: Hailey Tuck | Club des Belugas com Brenda Boykin | Patrícia Lopes |Aaron Goldberg Trio | Jacqui Naylor & Art Khu | Sarah McKenzie | Afonso Pais & Rita Maria 
*Limitado ao stock existente.

Espetáculo para maiores de 6 anos

 
 

Organização


Principal Parceiro


Parceiros Media


Apoios

Caldas nice Jazz - Festival Internacional